Na internet, empresas que comercializam a planta informam que ela é capaz de controlar níveis de colesterol e de açúcar no sangue e reduzir dores musculares; agência diz não haver comprovação da segurança do uso da espécie

SÃO PAULO – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a fabricação, importação, distribuição, comercialização e propaganda de produtos que tenham moringa oleifera em sua composição. A medida cautelar foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira, 4.

A agência informou que não há avaliação e comprovação de segurança do uso da espécie em alimentos.

“Produtos denominados e/ou constituídos de moringa oleifera vêm sendo irregularmente comercializados e divulgados com diversas alegações terapêuticas não permitidas para alimentos”, informa a resolução.

Sites que vendem o produto pela internet informam que a planta é rica em potássio e vitaminas A e C. Entre os benefícios, citam o combate a processos inflamatórios, controle dos níveis de colesterol e açúcar no sangue, retardo do processo de envelhecimento, redução da fadiga e combate a dores musculares.

O produto pode ser encontrado em cápsulas, em pó, em folhas e em gotas.

técnico em farmácia pode substituir farmacêutico

O que é a moringa oleifera

Trata-se de uma planta de origem asiática da família Moringaceae. Pode ser usada na alimentação, tanto na forma in natura quanto em farinha.

A planta ficou famosa por ser rica em nutrientes. Em 100 gramas de moringa, há a mesma quantidade de cálcio de 1,6 litro de leite; a mesma quantidade de ferro de 1 kg de espinafre; a mesma quantidade de vitamina A de 1,3 kg de cenoura; a mesma quantidade de potássio de 4 bananas. A moringa também é rica em vitaminas do complexo B e tem propriedades antioxidantes.

Entretanto, ainda são preliminares os estudos científicos que comprovem os benefícios da moringa para a saúde humana, embora a planta já seja vendida em cápsulas por muitas farmácias, lojas de produtos naturais e na internet.

Há quem faça chá de moringa, mas esse método não é recomendável por muitos especialistas na área de saúde.

Além disso, o cálcio presente na moringa nem sempre é adequadamente absorvido e pode agravar quadros de cálculo renal, por exemplo.

Fonte: Estadão

e

Fonte: G1.com

Compartilhe esse post no